A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta sexta-feira uma nova operação para desarticular o braço financeiro responsável pela lavagem de dinheiro de uma das principais facções criminosas que controla a venda de drogas e armas de dentro dos presídios. A Caixa Forte, como foi batizada a ação, é a segunda do tipo esta semana: na terça-feira, outra operação mirou a “tesouraria” do grupo.

Segundo a PF, pelo menos 34 pessoas já foram presas e um fuzil foi apreendido em Curitiba. Ao todo, foram expedidos 52 mandados de prisão preventiva, 48 mandados de busca e apreensão e 45 mandados de bloqueio de contas bancárias, com alvos em 18 cidades dos quatro estados. Pelo menos seis dos mandados são contra pessoas que já estão presas.

A ação é desdobramento da operação da PF contra a organização criminosa nos estados de São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. Em curso desde fevereiro, a investigação teve acesso a planilhas contábeis da facção e descobriu depósitos mensais entre R$ 800 mil e R$ 1 milhão em 418 contas bancárias.

O dinheiro era usado pelo bando para financiar crimes e manter a rede do grupo funcionando em todo o território brasileiro. Os valores cobriram desde o auxílio funeral de um integrante ao custeio de hospedagem de familiares em visitas a presídios.

De acordo com a investigação, os repasses eram originários do tráfico de drogas. A transferência entre contas bancárias era feita de forma fracionada para não acionar dispositivos de vigilância do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

MIO TELECOM
PREFEITURA MUNICIPAL DE CARNAÍBA
CONSULTORA MARTA ALVES

Telefone/WhatsApp:

(83) 9 9869-0840

ARTE MÍDIA

Comunicação Audiovisual -Tavares/PB. Fone: Hélio Mendes.